sábado, 30 de junho de 2012

Stella Artois



INFORMAÇÕES
Cervejaria: Stella Artois
Grupo: Anheuser-InBev
Pais de Origem: Bélgica
Estilo: Premium American Lager
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 5.2% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 0-4 °C 
Copo ideal: Pilsner

Nascida na Bélgica, berço dos melhores mestres cervejeiros, e produzida com ingredientes de primeiríssima qualidade, Stella Artois é uma cerveja super premium, de sabor balanceado e marcante. A cerveja era tão brilhante e clara que recebeu o nome de Stella - estrela em latim. O seu sabor marcante conquistou os paladares mais requintados e Stella Artois tornou-se aa cerveja símbolo da Bélgica.

Degustação
Aparencia pouco atrativa, pouca espuma, que se mantêm por pouco tem. Aroma suave, sente-se um fundinho de lúpulo bem agradável. O sabor confirma a presença de lúpulo acima das tradicionais pilsens brasileiras, deixando um final moderadamente seco. Mesmo assim, o amargor não impera no conjunto: o maior destaque fica mesmo para os sabores de malte, percebidos em um leve adocicado.
O retrogosto é sutil e quase não se mantêm, mas acredito que seja uma das grandes vantagens, já que não deixa nenhum retrogosto desagradável, também muito comum em outras brejas brasileiras.

Avaliação
Aroma 3/5
Aparência 3/5
Sabor 6/10
Sensação 3/5
Conjunto 6/10
Avaliação Geral 21/35

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Itaipava Premium.... Premium?


INFORMAÇÕES

Cervejaria: Cervejaria Petrópolis
Pais de Origem: Brasil
Estilo: Premium American Lager
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 4.5% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 0-4 °C 
Copo ideal: Pilsner, Lager (Chope) e Caldereta

Resolvi experimentar uma daquelas figurinhas fáceis do mercado, que ninguém tem muitos problemas em achá-la. A Cervejaria Petrópolis tem uma distribuição tão boa quanto as outras grandes marcas nacionais e está em todo lugar.

Degustação
No copo ela é uma cerveja menos pálida do que sua versão tradicional. É de carbonatação intensa, ou seja, fica aquela impressão de ter mais gás. No entanto, é como se as bolhas de gás fossem um pouco mais agressivas às papilas da língua do que em cervejas que no popular diriam, "mais leve". Mas não se enganem, é uma lager ou, como preferem os brasileiros, uma pilsen. Não tem nada de pesado nela fora essa impressão.
Tem leve aroma de malte, mas poderia ser melhor. Na boca, gosto brando de cerveja. A Itaipava original não tem muito gosto mesmo, isso já é uma evolução.
O rótulo "premium" é exagerado. A única coisa que ele quer dizer, na minha opinião, é que ela é melhor que a Itaipava comum.
Em sua composição estão os cereais não malteados, ou seja, milho e/ou arroz, o que na minha opnião descaracteriza completamente um tag de premium.
Na minha avaliação a Itaipava Premium é uma cerveja razoavél para se beber em dias de muito calor e sem maiores compromissos com o sabor.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Erdinger Weissbier Dunkel


INFORMAÇÕES

Cervejaria: Erdinger Weissbräu
Importadora: Bier&Wein
Pais de Origem: Alemanha
Estilo: German Dunkelweizen  
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 5.6% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 8-12 °C 
Copo ideal: Weizen

Uma genuína especialidade, a Erdinger escura deve seu sabor encorpado ao fino lúpulo e ao malte tostado utilizados em sua fabricação, produzida de acordo com antigas receitas. Levemente picante, contém uma proporção mais elevada de extrato primitivo e, como as demais cervejas da linha, também adquire seu sabor harmônico na maturação dentro da garrafa. Como resultado, torna-se uma cerveja perfeitamente balanceada e naturalmente escura. Harmoniza com carnes assadas, porco, funghi e pratos agridoces.


Degustação

Ótima Weizen Dunkel! Coloração marrom escuro, com espuma bege de média formação e duração. Excelente aroma frutado (frutas pretas) e tostado ao mesmo tempo. Contudo, para que ele seja sentido, é necessário que ela não esteja tão gelada. Sabor harmônico, que, assim como o aroma, combina bem os elementos típicos da Weiss clara com as notas tostadas do estilo Dunkel. Final levemente seco e amargo. Muito boa drinkabilidade.

domingo, 24 de junho de 2012

Budweiser não deveria usar tag Premium em rótulo

O Brasileiro está se interessando por cervejas especiais e premium cada vez mais, é curioso isso, e isso pode ser constatado na fila do supermercado.

É muito bom as pessoas se interessarem por elas, porque na maioria das vezes é apenas curiosidade, a maioria das pessoas desse novo perfil do “bebedor de cerveja” brasileiro, não conhece muita coisa sobre cerveja, mas tem curiosidade e, isso é bom, é o caminho natural para se tornar um apreciador como a maioria de nós aqui.

A alguns dias na fila do supermercado pude constatar a potência que é a Budweiser, é como se fosse “Skol” importada, as pessoas gostam de dizer que estão bebendo a Bud, independentemente de poderem identificar algo característico no sabor, aroma, aparência ou produção que a torne melhor que a Skol, por exemplo.
Para quem está se iniciando neste novo e prazeroso hobby, nem o fato de ter a tag “Premium” nela é relevante. Eles querem apenas se sentirem diferentes como a cerveja de nome complicado para o publico humilde.

A lata é diferente de todas as nossas cervejas e é isso que atrai o bebedor comum que quer algo “diferente” (embora a bud seja mais do mesmo).


Na do supermercado pessoas humildes debatendo entre si qual a pronuncia correta do nome, era interessante ver esse debate entre eles, pois isso gera curiosidade, quando verem que ambos estavam errados, vão voltar ao assunto e provavelmente vão falar algo do tipo: “o nome eu não sei direito, mas que é boa, é…” e isso é uma porta aberta para se interessarem cada vez mais por coisa boa, por assim dizer.

A Bud não é uma cerveja primorosa, está longe disso, não é disso que se trata, estou destacando apenas o interesse do bebedor comum em algo novo.

Estou citando estes exemplos de pessoas humildes com cervejas importadas, pois há alguns anos atrás isso seria algo impensável, a maioria achava “desperdício” comprar uma cerveja mais cara já que tudo era cerveja, era tudo igual… as pessoas bebiam preço e não qualidade, ainda é assim, claro, mas já podemos ver mudanças consideráveis em todas as classes sociais e, isso é ótimo!

Tanto a Bud quando a Skol são líderes de venda e popularidade nos EUA e no Brasil respectivamente, mas elas tem mais que isso em comum… as duas também são sem graça, a Bud por ter a tag “Premium” deveria ser no mínimo o dobro melhor, mas não é e, simplesmente porque a tag “premium” nela é mentirosa, bom, ela não será a primeira nem a ultima a usar algo no nome que induza de forma errada o consumidor a pensar que ela é uma cerveja melhor do que realmente é.

Teoricamente, uma cerveja “American Premium Lager” estritamente classificada significa uma marca que não leve mais do que 25% de adjuntos em sua composição. Adjuntos são outros cereais não maltados, tais como o arroz, o milho ou até mesmo a batata. São utilizados com dois objetivos: diminuir o custo — o malte de cevada, importado, é um insumo caro — e tornar a cerveja mais “leve” ao paladar do consumidor. A cerveja deste estilo, teoricamente, também não deveria ter conservantes ou aditivos químicos.
Ok, mas a cerveja é boa?

A Bud tem um aroma fraco e sabor chato, coloração amarelo translúcido, ela não chega a ser uma cerveja desagradável no todo, mas não vale R$2,20 de forma alguma, ela tem como ponto forte a refrescância o que pode vir a funcionar bem no Brasil nessa nova investida da AB Inbev. Para exemplificar melhor, eu a colocaria entre a Skol e a Antarctica numa escala de qualidade, sendo a Skol a mais fraca e a Antarctica a melhor.

Se a Bud, não tivesse “Premium” no nome e não fosse mais cara que a Heineken, talvez ela fosse apenas uma cerveja comum… mas esses dois pontos soam arrogantes demais para um produto tão igual ao que vemos atualmente no mercado.


sábado, 23 de junho de 2012

Bauhaus Cobre


INFORMAÇÕES

Cervejaria: Cervejaria Premium
Pais de Origem: Brasil
Estilo: Premium American Lager  
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 5.1% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 0-4 °C 
Copo ideal: Pilsner

Estilo Golden Lager, esta cerveja Premium é produzida em Frutal, no estado de Minas Gerais. Seu nome é inspirado na famosa escola Bauhaus de Arte e Desing, criada na Alemanha há quase 100 anos e que até hoje, através de seu conceito de criatividade, revoluciona o mundo.
Deliciosamente refrescante, sua legítima receita alemã e secular é produzida com a mais cristalina água, dois lúpulos importados da Baviera, fermento proveniente do maior centro cervejeiro em Munique e 100% de maltes especiais; dentro de uma das mais modernas fábricas do Brasil.
Cerveja de baixa fermentação, sua cor acobreada brilhante e sua espuma densa e cremosa realçam ainda mais seu paladar encorpado. Aromas orais, cítricos e de caramelo, acidez média e persistente. 
Cerveja Gourmet, harmoniza com pratos leves, ácidos, condimentados, picantes da cozinha brasileira (mineira, capixaba, baiana), pescados e frutos do mar.


Degustação
Coloração dourada com espuma branca volumosa e de média duração, deixando uma fina camada persistente.
Aroma muito maltado, com destaque para cereais e pão. Sinais de lúpulo muito fraco. O malte predomina totalmente no aroma.
Suave e agradável amargor. Cerveja refrescante, sem ser aguada. Média carbonatação.
Conjunto harmônico e equilibrado para uma puro malte.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Birra Moretti



INFORMAÇÕES

Cervejaria: Birra Moretti
Grupo: Heineken
Pais de Origem: Itália
Importadora: FEMSA
Estilo: Premium American Lager
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 4.6% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 0-4 °C
Copo ideal: Pilsner Lager (Chope) Caldereta


A Birra Moretti é uma genuína e tradicional cerveja tipo lager italiana com mais de 150 anos que possui líquido dourado e sabor encorpado, fermentada a fundo com uma cor dourada. Esta coloração é um resultado do tipo de malte utilizado na fabricação da cerveja. Birra Moretti é uma cerveja de qualidade feito da maneira tradicional. Com um sabor único e fragrância, aumentando o seu sabor amargo perfeitamente equilibrado.
É ideal para harmonizar com petiscos e massas.


Degustação
Dourado médio, baixa carbonatação, espuma alta e de boa duração. Bem amarga, pela maior presença de lúpulo.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Afinal, o que são os ingredientes da cerveja?



A cerveja é uma bebida produzida a partir da fermentação (provocada por uma levedura – a Saccharomyces cerevisae) de cereais, em especial os maltados como a cevada, e da adição de lúpulo, uma planta (da família das trepadeiras – “eu adorava esta propaganda”) de origem européia da espécie Humulus lupulus.No calor do cozimento da mistura, o lúpulo libera suas resinas de sabor amargo, dando à cerveja sabor característico.

O lúpulo tem seu primeiro cultivo registrado no ano de 736 DC, em Hallertau, região hoje pertencente à Alemanha. Esta região é, ainda hoje, considerado o mais importante centro de produção, sendo responsável por cerca de 25% da produção mundial. Entretanto, a primeira citação do uso do lúpulo na fabricação de cerveja foi em 1067 por Hildegard of Bingen.


Atualmente, o lúpulo é bastante valorizado, sobretudo nas chamadas cervejas especiais e Gourmet, onde sabores e particularmente aromas são bastante desejados. Além de Hallertau na Alemanha (principal fornecedora de lúpulo para muitos fabricantes de cervejas Premium), também é famoso o Lúpulo de Saaz, um tipo de lúpulo aromático, e menos amargo, utilizado na fabricação de várias cervejas.  De origem tcheca foi originalmente utilizado na fabricação das cervejas Pilsen. Seu aroma característico pode ser verificado na tcheca Pilsner Urquell (ou Urquell Pils, considerada a Pilsen original, mãe de todas as outras), na 1795, na brasileira Bohemia e na holandesa Amsterdam Lager.
O lúpulo foi introduzido nas cervejas da Inglaterra no início do século XVI e nos EUA em 1629. Os principais centros de produção do Reino Unido encontram-se em Kent (que produz o lúpulo Kent Golding) e Worcestershire. Nos EUA no estado de Washington. Outras importantes áreas de cultivo incluem Bélgica, Xinjiang (China), Tasmânia (Austrália), a região de Lublin (Polônia) e Chuvashia (Rússia). Além disso a Nova Zelândia também vem surgindo como produtora de lúpudo, sendo hoje referência na produção de lúpulo orgânico.



Mas o ingrediente principal da cerveja (depois da água, obviamente) é o malte. O malte fornece carboidratos (açúcares) que serão fermentados pelos fungos (leveduras) para produzir o álcool e o gás carbônico (CO2) além de, obviamente, vários subprodutos dando origem aos mais variados sabores e aromas (não provenientes do lúpulo) da própria cerveja.
Mas o que é o Malte? E por que certos cereais são considerados “maltados” e outros não?
Malte é um produto que resulta da germinação induzida e posterior dessecação da cevada ou de outros cereais (como o trigo). O malte forma-se a partir de sementes de cereal que são colocadas de molho, em uma grande tina cheia de água fria, a uma temperatura de aproximadamente 10 ºC. Quando o grão de cevada absorve o máximo possível de água (teor de umidade de aproximadamente 45%), dá-se a germinação. O resultado do processo é chamado de malte verde.


O processo de “maltagem” consiste em induzir, portanto, a germinação dos grãos. O malte verde será seco e torrado, diferentes níveis de torrefação levam a diferentes tipos de malte para utilização a fim de produzir cervejas variadas. Estimativamente, cada 100 Kg de cevada produzem cerca de 160kg de malte verde que como malte pronto (seco e torrado) pesa cerca de 80kg. A cor do malte varia muito de acordo com o processo e a intensidade da torrefação. Quanto mais torrado o malte mais escuro ele vai ser, conferindo à cerveja uma cor mais escura também, além de sabor e aromas totalmente diferenciados.


E os tais “Cereais não maltados”?

Outros países utilizavam maltes de outros cereais (trigo principalmente, nas weiss ou weissbier), e mesmo cereais não maltados (ou seja, incapazes de fornecerem o malte pelo proceso de germinação induzida) como fontes de carboidratos para a fermentação pela levedura Saccharomyces cerevisae. Os principais cereais “não maltados” utilizados no passado e até nos dias de hoje são: Arroz (Budweiser, por exemplo), Milho (Skol, por exemplo) e outros como o Sorgo (muito usado como alimento animal). A finalidade do uso deste tipo de cereal é baratear o processo e obter maior rendimento, desta forma as cervejas produzidas em escalas absurdamente grandes, normalmente levam cereais não-maltados na composição, uma exceção honrosa é a holandesa Heineken, megacervejaria que somente produz cerveja com cereais maltados.

Veja também, no Link abaixo, um vídeo de um programa do canal National Geographic, sobre a mega cervejaria da Heineken na Holanda:
http://natgeotv.com/pt/mega-fabricas/videos/mega-cervejaria

FONTES PRINCIPAIS: WIKIPEDIA, LAROUSSE DA CERVEJA, WWW.CERVEJASDOMUNDO.COM

terça-feira, 19 de junho de 2012

Erdinger Weissbier




INFORMAÇÕES

Cervejaria: Erdinger Weissbräu
Pais de Origem: Alemanha
Importadora: Bier&Wein
Estilo: German Weizen  
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 5.3% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 5-7 °C 
Copo ideal:Weizen

Erdinger Weissbier foi a primeira cerveja do Tipo Weiss que tive o prazer de experimentar, a qual me foi apresentada pelo amigo Philipp Valim.


Uma cerveja de trigo premium, para aqueles que apreciam um sabor inesquecivelmente bom. Carro-chefe da cervejaria Erdinger, a Erdinger clara é uma cerveja de trigo com levedura fina e tradicional maturação dentro da própria garrafa, similar aos champanhes. É uma cerveja leve, viva, muito aromática e refrescante, de sabor incomparável, clássica entre as cervejas de trigo.
Harmoniza com peixes e frutos do mar, saladas, grelhados, salsichas e pratos apimentados.

O que diferencia a Erdinger das outras cervejas de trigo (Tipo Weissbier):
  • A segunda fermentação feita dentro da própria garrafa ou no barril, similar ao processo de produção dos champanhes, o que resulta em um sabor harmônico e refrescante.
  • O agradável aroma e paladar muito bem equilibrado
Degustação
Creme médio e branco, duração longa e denso. Líquido pouco turvo e coloração âmbar clara.
Corpo leve e aquado, com boa carbonatação.
Entrada levemente doce e moderadamente ácida,final moderadamente amargo e de média duração.
Aroma leve de malte que lembra pão branco, com lúpulo leve e levêdo.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

St. Gallen Weissbier


INFORMAÇÕES
Cervejaria: Cervejaria St. Gallen
Estilo: German Weizen  
Pais de Origem: Brasil
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 5.5% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 5-7 °C 
Copo ideal:  Weizen


Elaborada segundo tradicional método da região sul da Germânia. Produzida com água mineral, puros maltes de trigo e cevada, lúpulo e levedura nas montanhas de Teresópolis, Rio de Janeiro.
Ano 613 d.C., nos alpes da antiga Germânia, monges beneditinos de Saint Gallen iniciam uma importante e prazerosa busca: elaborar "A Mais Agradável das Cervejas". Século XXI, nas montanhas de Teresópolis - Rio de Janeiro, cervejeiros embuídos do mesmo espírito se dedicam a produzir cervejas que combinam e personalidade, dignas dos mais exigentes apreciadores. Viva esta Experiência!


Degustação
Coloração amarela quase dourada e turva, uma espuma alta, cremosa, que permaneceu por um bom tempo, como se espera de uma boa cerveja de trigo, muito aromática, de longe percebe-se o frutado e o cravo.
O sabor acompanha totalmente o aroma, doce, bem frutada, com o cravo aparecendo bastante. 
No geral, é uma cerveja que agrada, com um preço muito atraente.


Essa degustação ocorreu a algumas semanas, quando ainda não possuía nenhum copo do tipo Wizen, mas devido a sua baixa fermentação acredito não ter comprometido seu sabor e aroma

domingo, 17 de junho de 2012

Limpando seu Paladar


Para Cervejófilos como nós que desejar degustar várias cervejas em uma mesma sessão, há alguns truques que podem ser utilizados para limpar o paladar entre uma cerveja e outra, a fim de que os gostos não se misturem e se possa efetuar uma avaliação com o máximo nível de precisão.
A principal “limpadora” é a água, a qual deve ser servida à temperatura ambiente e em um copo limpo. Além de tirar da boca a maioria dos sabores da cerveja anterior, é um importante coadjuvante do degustador à medida que também hidrata o organismo.

Descobri também o miolo de pão, o qual pode ser introduzido na boca e “passado” internamente entre os dentes, gengivas, língua e bochechas.


Há também os que preferem bolachas do tipo “cream-cracker”, com pouco sal ou mesmo pipoca, mas essa eu nunca testei.
O ideal é você experimentar todos estes “artifícios” ou outros que descobrir, e eleger o que mais acha adequado para limpar o seu paladar, lembrando sempre que o tabaco em excesso é o grande inimigo do degustador.

sábado, 16 de junho de 2012

Como Degustar sua Cerveja


Aqui vão os principais pontos para avaliar um cerveja, que encontrei pesquisando na internet e aprimorando ao longo de minhas degustações.

APARÊNCIA
É o seu primeiro contato com a cerveja, antes mesmo de deitá-la no copo. Apresente-se à cerva e deixe que ela comece a te contar de onde ela veio e a sua história. Já servida, observe a sua cor, a textura do líquido, carbonatação, partículas suspensas e a aparência e a durabilidade do creme.

AROMA
Uma das mais complexas características da cerveja, é no aroma que você sente aquele toque floral, cítrico, frutado, malte, cravo... Dependendo da complexidade da cerveja, as sensações são infinitas, e refletem o que está contido na sua memória olfativa. Aprender a captar o aroma de uma cerveja é uma arte que requer algum treino. Se necessário, gire levemente o copo para que o aroma se solte. O que você nota? Que aroma predomina? Você sente flores? Ervas? Caramelo? Frutas? Que tipo de frutas? Lembra algum outro aroma que você conhece? Que odores desagradáveis você identifica? Já vi amigos sentido até aromo de incenso..... hehehehehe. Atenção pois após 4 inspirações, os sensores olfativos já começam a ficar confusos e sua avaliação prejudicada.

SABOR
Analise primeiro o gosto da cerveja, se é ácida, amarga, doce ou azeda, bem como a intensidade e duração de cada um destes aspectos na sua boca. Depois, analise o sabor como um todo. Sente o sabor do malte, do lúpulo, da levedura? Ao que te remete? Lembra outros sabores familiares? Eo sabor final, o retrogosto, como é? Dedique um bom tempo para perceber todas essas impressões.

SENSAÇÃO
É nesta hora que se avalia as sensações na boca, o corpo, a textura, a carbonatação, álcool e qualquer outra sensação tátil causado em sua boca pela cerveja.

CONJUNTO
Fluiu bem? Foi inesquecível? Nem tanto assim? Recomendaria para seus amigos? Ou você nem a degustaria novamente? Como o próprio nome já diz, é a sua impressão geral e pessoal sobre o conjunto da cerveja.

A princípio parace complicado, mas nada que um pouco de prática não resolva. E olha que praticar degustação de cervejas é a melhor parte.

Bom divertimento e deixem seus comentários sobre suas degustações!

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Como Servir sua Cerveja


Para servir a cerveja corretamente devesse levar em consideração dois fatores: o tipo da cerveja e o tipo do copo a ser utilizado.


Para a maioria das cervejas do tipo Lager, as quais requerem um “colarinho” considerável a fim de que o oxigênio não “oxide” rapidamente o líquido dentro do copo, o ideal é deitá-lo a cerca de 45 graus em relação à mesa, derramando a bebida aos poucos até a metade. Após, endireitar o copo e derramar o restante da cerveja, cuidando para que se produza cerca de dois dedos de espuma, o que cá entre nós qualquer cervejeiro já sabe disso.... hehehehehehe



No caso das cervejas dos subtipos Hefeweizen ou Dunkelweizen, prefira servi-las nos copos grandes e longos típicos das cervejas de trigo. Nesse caso, antes de terminar o líquido na garrafa, agite-a levemente para que os fermentos decantados do fundo se desprendam. Em seguida, derrame esse creme no copo, criando o “colarinho”.

As cervejas do tipo Belgian Ale possuem copos próprios para cada uma delas. Caso não os tenha, prefira servi-las em uma taça de boca larga, a fim de que o aroma se desprenda mais facilmente ao degustá-la. Derrame a cerveja de uma vez só no centro da taça, sem se preocupar em agitar a garrafa, seguindo a orientação inicial de metade a 45 graus e outra metade com o copo de pé.

Tais indicações são dadas aqui em linhas gerais. Em muitos rótulos de cerveja você encontrará o copo indicado e a forma que você deverá servi-la, a Baden Baden é um bom exemplo nacional que fornece todas as informações ao seu cliente.


Outras dicas:
  • Lave muito bem o copo antes de servir a cerveja. Restos de saponáceos ou gordura restante no copo podem “matar” a espuma e liquidar o seu prazer de beber. Bolhas muito grandes e não duradouras na espuma e bolhas que se prendem ao longo do copo, na parte do líquido, são sinais de copo mal lavado.
  • Prefira servir a cerveja com o copo levemente molhado, o que favorece a criação da espuma.
  • Se alguém lhe oferecer um copo gelado, recuse. O contato da cerveja com a temperatura do copo produz condensação que irá diluir a bebida a ponto de alterar-lhe o sabor e a temperatura correta na qual deveria ser servida. 
  • Recuse a cerveja (mesmo as Pilsen!) quando a temperatura estiver abaixo de 2ºC, o que amortecerá as suas papilas gustativas e você não sentirá o gosto da cerveja.
  • LEMBRE-SE: Cerveja “estupidamente gelada” é apenas para quem não conhece de cerveja, para aqueles que querem apenas um líquido refrescante ou então para disfarçar o gosto de uma cerveja ruim.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Eisenbahn Pilsen



INFORMÇÕES

Cervejaria: Cervejaria Sudbrack
Grupo: Schincariol
Pais de Origem: Brasil
Tipo: Pilsen
Estilo: Premium American Lager  
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 4.8% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 0-4 °C 
Copo ideal: Pilsner, Lager (Chope), Caldereta e Visite o website

A pilsen agrada a todos os paladares, e quando é produzida com os mais puros ingredientes, ela fica melhor ainda, essa é a Eisenbahn Pilsen, uma bebida leve, de cor dourada, baixa fermentação, suavemente amarga e de médio teor alcoólico.
Suas principais características são a pureza, transparência e sabor, que não tem comparação entre as Pilsen nacionais, lembrando muito as importadas alemãs. Para sua fermentação são utilizadas leveduras que resultam no processo chamado de baixa fermentação, ou fermentação a frio.

PREMIAÇÕES INTERNACIONAIS :
European Beer Star 2008 - Alemanha
2 medalhas de bronze com a Pilsen categoria Mild Beer e a Dunkel na categoria German-Style Schwarzbier.

Degustação
Amarela não tão pálida, leve, aguada, carbonatação média. Início e final moderadamente amargos, com duração média do sabor.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Heineken Lager Beer



INFORMAÇÕES

Cervejaria: Heineken
Grupo: Heineken
Estilo: Premium American Lager  
Álcool (%): 5% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Embalagem: Garrafa
Temperatura: 0-4 °C 
Copo ideal: Caneca Pilsner

Produzida na Holanda, a cerveja Heineken é uma das mais famosas cervejas vendidas no mundo. Aqui no Brasil, a Heineken é produzida e distribuida pela FEMSA, exceto o keg, que é importado.

Há um bom tempo sendo feita no Brasil, vale destacar o controle de qualidade que a deixou exatamente a mesma todas as vezes que a tomei nos últimos meses, diferente das fabricadas aqui há séculos, que a cada mês vem coisa diferente nos lotes, com raras exceções.

Degustação
Amarela e translúcida, tem bolhas pequenas que formam creme bonito e de duração média.
Mas é na boca que ela fica delícia, com seus característicos atributos. O amargor bom, equilibrado com leve salgado e levíssimo doce conferem a ela uma enorme drinkabilidade. A carbonatação média resulta em gostosa picância na ponta da língua e refrescância sem fim. O final seco chama um gole atrás do outro.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Budweiser



INFORMAÇÕES
Cervejaria: Anheuser-Busch
Grupo: Anheuser-InBev
Estilo: Standard American Lager
Pais de Origem: Brasil
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 5% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 0-4 °C 
Copo ideal:  Pilsner

Degustação
Taí uma cerveja que eu nunca tive vontade de experimentar, mas o grande marketing me convenceu.
Ela me surpreendeu positivamente,mas se mostrou uma típica Standard American Lager, e não uma Premium como seu marketing se faz acreditar, levíssima e sem a menor graça. A começar pela cor, amarela clara, bem pálida. A espuma até que se mostrou generosa, mas de pouca duração. O aroma, como já dito, trouxe um lúpulo muito suave, mas ele estava ali sim. O sabor, por sua vez, se mostrou muito fraco, demonstrando que o único objetivo dessa cerveja é refrescar.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Schneider Weisse TAP 7 Unser Original



INFORMAÇÕES

Cervejaria: Weissbierbrauerei G. Schneider & Sohn
Importadora: Stuttgart
Pais de Origem: Alemanha
Estilo: German Weizen  
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 5.4% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 5-7 °C 
Copo ideal: Weizen

Cerveja de trigo não filtrada e não pasteurizada, elaborada de acordo com a receita original de Georg  Schneider de 1872 na cidade de Kelheim, no Estado da Baviera na Alemanha. Fabricada conforme a lei de pureza da Baviera
Com a sua típica e exclusiva coloração âmbar, é diferente das demais cervejas de trigo não somente pela cor, mas principalmente pelo sabor. Elaborada com fermentação superior, esta cerveja tem uma agradável e persistente espuma com boa aderência ao copo. É delicadamente picante com um aroma típico de alta fermentação. Aromas de cravo e noz-moscada são sentidos no nariz. Na língua, é fresca, limpa, cheia, harmoniosa e bem balanceada. Termina com uma sensação gasosa e um leve amargor.

Harmoniza perfeitamente com camarões, siri, ostras. Os queijos ideais são os macios brie e camembert.

Degustação
Creme pequeno e pouco denso, bege. Duração média. Líquido turvo, com bolhas pequenas e coloração âmbar.
Entrada levemente doce, com sabor final levemente amargo, de curta duração.
Aroma que segue o estilo, com banana e cravo.

PREMIAÇÕES INTERNACIONAIS :
- Medalha de Prata no Australian Beer Awards 2009
- Medalha de Ouro no World Beer Cup 2008
- Medalha de Bronze no European Beer Star 2007

Paulaner Hefe-Weissbier Dunkel



INFORMAÇÕES
Cervejaria: Paulaner München
Pais de Origem: Alemanha
Estilo: German Dunkelweizen
Sub Estilo: Hefe Hell - Dunkel
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 5.4% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 5-7 °C 
Copo ideal: Weizen

Seu paladar é extremamente agradável, levemente frutado e com gotas de cravo que são marcantes. É uma cerveja bem consistente, encorpada. Muito agradável de se degustar.
O que diferencia a Paulaner Hefe-Weissbier Dunkel das cervejas de trigo claras é sua maior porcentagem de malte de trigo tostado. O malte escuro confere à cerveja uma bonita cor castanha e um aroma refrescante e intenso que recorda o malte tostado.
A cerveja de trigo escura não é filtrada antes do envasamento, de maneira que as leveduras utilizadas em sua fermentação estão contidas na garrafa. Estas leveduras conferem um sabor especial à cerveja e são fontes naturais de vitaminas e sais minerais.
Paulaner Hefe-Weissbier Dunkel acompanha muito bem carnes de caça, salsichas, aves, queijos fortes e sobremesas.


Degustação:

Líquido de cor achocolatado, quando colocada contra a luz tem cor caramelo. Muitas partículas. Seu creme é denso e tem boa duração. Quando termina, fica a velha e boa camadinha de poucos milímetros.

A sensação na boca é de uma cerveja pouco complexa, tem um torrado muito leve, bem como pouco amargo.

Sua característica mais gostosa é o aroma, que denuncia o estilo weiss até para quem está de nariz entupido. Cravo e banana descarados...que coisa boa!! 

domingo, 10 de junho de 2012

Cerveja Artesanal

Cervejas artesanais são aquelas produzidas quase que de "forma caseira".

Várias micro-cervejarias, mesmo utilizando equipamentos modernos e engarrafando suas produções, ainda assim são consideradas como cervejarias artesanais pelo cuidado que têm com sua produção, indo desde os ingredientes básicos da cerveja, passando pela receita de preparo e chegando até aos conservantes finais, que devem ser naturais e não químicos.


Outras micro-cervejarias, ou cervejarias caseiras, são realmente o que podemos chamar de artesanais ao pé da letra. Utilizam equipamentos pequenos, que cabem em qualquer cozinha, normalmente não possuem engarrafadoras e guardam suas produções com garrafas de cerveja comum e rolhas.
Ao ouvir falar em Cerveja Artesanal, pense em cervejas mais bem cuidadas, com produções mais restritas (mas não necessariamente pequenas), o que leva a produtos com resultados finais muito interessantes e diversificados.

Cervejas Especiais

As cervejas especiais nada mais são do que cervejas produzidas com alguma diferenciação quando comparada com as cervejas comerciais mais populares.


O termo "especial" não representa nenhum estilo específico de cerveja, como você pode conferir no no post sobre os Principais Tipos de Cervejas.

Entretanto, quando se fala em Cerveja Especial, normalmente entende-se um cerveja diferenciada, principalmente cervejas importadas e as cervejas artesanais, além das cervejas de estilos que não sejam Pale Lager, as mais populares no Brasil, ou então cervejas feitas seguindo receitas antigas, tradicionais ou de acordo com a REINHEITSGEBOT - Lei da pureza alemã de 1516. Em sua maioria, estas cervejas utilizam matérias primas de melhor qualidade, com nenhum ou poucos aditivos químicos.

Enquanto as cervejas populares se assemelham em sabor, aroma e cor, as cervejas especiais diferenciam-se por sua liberdade de estilo, receita personalizada e qualidade das matérias primas. Fora os ingredientes da receita básica da cerveja, que leva Malte, Levedura, Lúpulo e Água, as cervejas especiais arriscam saborosas combinações com ervas, frutas, outros cereais e especiarias, além de poderem se diferenciar em tempo de cozimento, nível de fermentação e produção de um alimento mais natural, sem conservantes.

O grupo Schin comprou a marca Baden Baden, de Campos do Jordão, a carioca Devassa e a catarinense Eisenbahn. A AmBev também incorporou nove rótulos de cervejas especiais em seu portfolio global.

Portanto, ao ouvir falar em cervejas especiais, pense em cervejas com um maior cuidado no seu preparo e, por consequência, melhor qualidade e melhor sabor.

sábado, 9 de junho de 2012

Therezópolis Gold


INFORMAÇÕES

Cervejaria: Cervejaria St. Gallen
Pais de Origem: Brasil
Estilo: Premium American Lager  
Embalagem: Garrafa
Álcool (%): 5% ABV
Ativa: SIM
Sazonal: Não é sazonal
Temperatura: 0-4 °C 
Copo ideal: Pilsner  Lager (Chope)

THEREZÓPOLIS GOLD é uma Premium Lager - Puro Malte, agradavelmente encorpada, produzida com três tipos de lúpulos importados e a mais pura água mineral das montanhas. Também se destaca como grande diferencial seus 15 dias de maturação que proporciona ao apreciador o sabor, a levesa e o aroma inconfundíveis que destacam nossa Cerveja das demais (as demais levam apenas 7 dias).

Degustação
Coloração dourada, espuma branca de médio volume e duração. Aroma e sabor com predominância de malte. O lúpulo é quase imperceptível. Leve amargor. Boa drinkabilidade. No geral, ela é gostosa, ficando um bem acima das comerciais nacionais.